Artesãos do DF brilham na Fenearte com apoio da Setur

Artesãos do DF brilham na Fenearte com apoio da Setur

A 24ª edição da Feira Nacional de Negócios de Artesanato (Fenearte), considerada a maior do ramo na América Latina, recebe sete talentos do Distrito Federal. Com o apoio da Secretaria de Turismo do DF (Setur), os artesãos brasilienses expõem seus produtos para um público estimado em mais de 14 mil pessoas e aproveitam a oportunidade para gerar renda e fortalecer a economia local.

Flores do Cerrado e muito mais

Entre os destaques da capital federal está o trabalho com flores secas do Cerrado, representado pela artesã Verônica Brilhante há 14 anos na Fenearte. Para ela, a feira é um sonho realizado: “É uma oportunidade muito grande, já vendemos R$ 17,5 mil até agora. A flor do Cerrado me proporciona uma boa condição de vida”.

Apoio que faz a diferença

O transporte dos produtos até Pernambuco foi viabilizado pela Setur, garantindo a participação dos artesãos brasilienses na feira. A pasta também oferece outros tipos de suporte, como:

  • Capacitação profissional: aprimorando as habilidades dos artesãos;
  • Espaços para comercialização: facilitando o acesso dos produtos ao público;
  • Microcrédito: linha de crédito de até R$ 2,5 mil para impulsionar os negócios;
  • Participação em eventos: apoio à presença em feiras como a Fenearte.

Resultados animadores

O investimento da Setur gera frutos concretos. Em 2023, o artesanato do DF bateu recorde de arrecadação, alcançando mais de R$ 1,5 milhão. A expectativa para a Fenearte deste ano é ainda mais promissora, com previsão de vendas superior a R$ 110 mil.

Artesanato: arte, renda e cultura

Para o artesão José do Patrocínio, o artesanato representa mais do que uma profissão: “Eu descobri um diálogo comigo mesmo por meio da confecção dessas peças. O artesanato tem o poder de despertar um potencial de que você pode fazer e me disciplina muito”.

Expectativas positivas

A Fenearte movimenta a economia do DF e de todo o país. Segundo Klever Antunes, chefe da Unidade de Promoção ao Artesanato e ao Trabalho Manual (Unart) da Setur, a meta de vendas para este ano é de R$ 130 mil, superando os R$ 80 mil da média anual.

A Fenearte: um trampolim para o sucesso

A participação na feira abre portas para os artesãos brasilienses, como destaca Klever: “Quatro entre sete artesãos chamados nunca foram, estão lá pela primeira vez. É uma oportunidade ímpar participar da maior feira da América Latina.”

Para mais informações:

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo