Bacia de contenção protege moradores do Setor Habitacional Bernardo Sayão

Bacia de contenção protege moradores do Setor Habitacional Bernardo Sayão

Estrutura teve um investimento de R$ 5 milhões e servirá para reter água da chuva, evitando que ocorram erosões ao desaguar em grande volume nos rios

Por Mayara da Paz, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

Uma bacia de contenção para reter a água da chuva está sendo construída no Setor Habitacional Bernardo Sayão, no Guará. A estrutura vai evitar erosões e proteger os moradores de grandes volumes de água durante o período chuvoso.

“A função delas é reduzir o risco de inundações em áreas urbanas. A bacia controla o fluxo da chuva, permitindo que, depois de passar pela bacia, a água seja liberada de forma moderada para o rio” Bruno Almeida, engenheiro da SODF

A obra faz parte do pacote de infraestrutura que está sendo construído na região. Ao todo, foram investidos R$ 5 milhões no equipamento.

Com a evolução das obras, é comum que surjam perguntas a respeito da construção. Por isso, a Agência Brasília preparou um roteiro para responder todas as dúvidas da população.

Utilidade

De acordo com Bruno Almeida, engenheiro da Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal (SODF), a estrutura é projetada e executada para coletar e armazenar o excesso de água de uma chuva intensa em determinada região.

De acordo com o projeto da Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal, a área da bacia é de aproximadamente 4.800 m², tendo um volume de 12.500 m³ | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília
De acordo com o projeto da Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal, a área da bacia é de aproximadamente 4.800 m², tendo um volume de 12.500 m³ | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

“A função delas é reduzir o risco de inundações em áreas urbanas. A bacia controla o fluxo da chuva, permitindo que, depois de passar pela bacia, a água seja liberada de forma moderada para o rio”, explica Almeida.

E nem só para isso serve uma bacia de contenção. Parte da água que é controlada pela estrutura também é absorvida pelo solo da região, auxiliando no abastecimento de lençóis freáticos.

Além disso, a bacia de contenção também dificulta a erosão nas margens do Córrego Vicente Pires, localizado próximo ao Setor Habitacional Bernardo Sayão, o que reduzirá danos ao meio ambiente. A bacia também atuará como um filtro, impedindo que materiais carregados pela chuva sejam lançados diretamente no córrego.

Preservação do meio ambiente

A construção da bacia foi autorizada pela Superintendência de Licenciamento Ambiental, do Instituto Brasília Ambiental. O empreendimento foi licenciado e passou por todo o protocolo de audiências públicas.

“A obra tem como objetivo diminuir os impactos do crescimento da população e urbanização desordenada, e corrigir os problemas ambientais já existentes”, informou o órgão.

Apesar de a estrutura estar localizada em uma área de vegetação local, Bruno Almeida ressalta que todos os estudos necessários para a obra acontecer foram feitos seguindo todos os critérios exigidos.

“Antes de se iniciar a remoção de qualquer vegetação, ou quando uma obra dessa dimensão é construída perto de alguma nascente, é preciso ter uma autorização ambiental, que é concedida pelo Instituto Brasília Ambiental. Ou seja, toda a parte ambiental está sob controle”, detalha o engenheiro.

Quando a obra for concluída, um projeto de paisagismo na área da bacia será construído para deixar a estrutura mais integrada ao ambiente.

Área beneficiada

De acordo com o projeto da Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal, a área da bacia é de aproximadamente 4.800 m², tendo um volume de 12.500 m³.

A bacia de contenção do Bernardo Sayão vai beneficiar diretamente as chácaras 12, 13 e 14 do setor habitacional da região, e a rua principal do condomínio.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo