GDF inaugura abrigo em Ceilândia para pessoas em situação de rua

GDF inaugura abrigo em Ceilândia para pessoas em situação de rua

Atendimentos começarão nesta quarta-feira (3), na Coordenação Regional de Ensino de Ceilândia, das 19h às 7h; capacidade do local é de 40 pessoas por noite

Por Mayara da Paz, da Agência Brasília | Edição: Vinicius Nader

Em meio às baixas temperaturas registradas no inverno, o Governo do Distrito Federal (GDF) irá abrir as portas de um novo abrigo temporário para receber pessoas em situação de rua. A nova unidade será inaugurada nesta quarta-feira (3) em Ceilândia Sul.

O espaço funcionará na Coordenação Regional de Ensino da cidade, na QNM 27 Área Especial B. A população em situação de rua será atendida das 19h às 7h, com fechamento dos portões às 22h. Serão acolhidas, por noite, 40 pessoas. O local estará aberto todos os dias, de domingo a domingo, enquanto durar o alerta de baixas temperaturas.

As iniciativas para acolher a população de rua fazem parte da campanha Ação contra o Frio. Nos locais, as pessoas recebem jantar e café da manhã, colchão, travesseiro, cobertor e kits de higiene e agasalhos. Parte desse material vem da campanha Agasalho Solidário – iniciativa da Chefia-Executiva de Políticas Sociais idealizada pela primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha.

“Quando as temperaturas caíram e lançamos o primeiro abrigo provisório para a população de rua na Asa Sul, seguimos acompanhando se haveria demanda nas outras regiões administrativas. Por isso, estamos abrindo este abrigo provisório aqui em Ceilândia, que é uma região do DF com grande concentração de pessoas em situação de rua. Essas pessoas agora também poderão ter mais dignidade com uma noite mais quentinha e mais confortável”, afirma Ana Paula Marra, secretária de Desenvolvimento Social.

O abrigo de Ceilândia é o terceiro que o GDF abre para atender a população de rua em época de baixas temperaturas. Um deles fica localizado no Centro Integrado de Educação Física (Cief) da 907 Sul e outro no Centro de Convivência (Cecon) do Gama Leste.

Em duas semanas, a unidade da Asa Sul atendeu 1.429 pessoas. Os atendimentos no local seguem. Já o espaço do Gama recebeu 100 indivíduos, entre homens, mulheres e crianças desde que foi inaugurado. Em razão da baixa demanda, o abrigo realizará a última noite de atendimento nesta terça-feira (2).

A escolha inicial pelo Plano Piloto se deu pela demanda observada em anos anteriores. Novos locais podem ser abertos conforme a necessidade, e seguirão à disposição enquanto o frio perdurar.

Política pública

Essa é mais uma atividade que integra o Plano de Ação para a Efetivação da Política Distrital para a População em Situação de Rua, elaborado pelo GDF para acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade. O DF foi a primeira unidade da Federação a apresentar um plano de política pública depois da suspensão pelo Supremo Tribunal Federal no ano passado das ações de abordagens da população de rua.

O conjunto de ações já é referência no país e inclui, além dos abrigos contra o frio, a oferta de serviços de saúde, educação, assistência social, orientação sobre tratamento a animais domésticos, acesso a benefícios – a exemplo do deslocamento interestadual e benefício excepcional no valor de R$ 600 para quem não consegue arcar com aluguel – e políticas públicas, como vagas no programa de qualificação profissional RenovaDF e o cadastramento para unidades habitacionais.

Onda de frio

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), desde o início do inverno, considerado a estação mais fria do ano, o DF tem registrado mínimas entre 7,5ºC e 17,4ºC. A previsão é que, até sábado (6), a capital registre mínima de 12°C e máxima de 27°C.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo