Ação especial no Parque da Cidade conscientiza sobre proteção da pessoa idosa

Ação especial no Parque da Cidade conscientiza sobre proteção da pessoa idosa

Iniciativa da Sejus-DF, o evento ‘Movimente-se: Viver 60+’ ofereceu à população, neste sábado (15), aferição de pressão, medição de glicemia, auriculoterapia e atividades como caminhada, alongamento e dança

Por Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Débora Cronemberger

Caminhada, aferição de pressão, medição de glicemia, auriculoterapia, alongamento e dança foram algumas das muitas atividades realizadas no Estacionamento 13 do Parque da Cidade Sarah Kubitschek em celebração ao Dia Mundial de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa. Coordenado pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus-DF), o evento Movimente-se: Viver 60+ reuniu dezenas de pessoas na manhã deste sábado (15).

“O nosso objetivo é fazer uma concentração desses grupos de idosos que estão nas cidades do DF para promover uma caminhada alusiva ao Dia Mundial de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa. Temos tolerância zero para violência contra essas pessoas no Distrito Federal. Esse é um momento de celebração e conscientização para dizer que o governo está sempre presente”, afirmou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

A dona de casa Eliene Fernandes, 64, mora em Samambaia Sul e participa do programa Viver 60+ há 13 anos. Para ela, é nítida a mudança que observou após começar a se exercitar. “Minha vida mudou totalmente, a saúde física e mental, principalmente. Essa ideia de reunir todos os grupos aqui também é muito boa porque a gente consegue rever colegas e conhecer novas pessoas também. Isso faz um bem muito grande para nós”, avaliou.

Parque da Cidade contou com atividades como caminhada, alongamento e dança neste sábado (15), Dia Mundial de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa
Parque da Cidade contou com atividades como caminhada, alongamento e dança neste sábado (15), Dia Mundial de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa

Já a aposentada Angelina Gouveia, 76, ressaltou a importância de incentivar o movimento entre os idosos: “A gente não pode só ficar em casa, porque isso nos adoece. Eu vim de Sobradinho para estar aqui nesse grupo. Fazer exercício físico é bom demais e melhora muito a minha vida, antes eu nem gostava de sair, agora eu tenho mais ânimo”, pontuou.

“Se não fosse esse programa, eu estaria em casa, fazendo faxina e depressiva, ainda mais eu que moro sozinha. Quando você encontra pessoas parecidas contigo, te dá um gás e ânimo para seguir. É maravilhoso estar em grupo, sempre que tiver essas iniciativas eu participarei”, elogiou a aposentada Eliene Silva, 64.

Os participantes da ação puderam fazer aferição de pressão e medição de glicemia
Os participantes da ação puderam fazer aferição de pressão e medição de glicemia

A ação integra o programa Viver 60+, voltado para realização de atividade física funcional e aulas de dança para pessoas com mais de 60 anos em turmas de até 40 alunos. Promovido pela Sejus-DF, a iniciativa leva aulas de atividade física funcional e dançaterapia às regiões administrativas de Água Quente, Ceilândia, Estrutural, Gama, Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Samambaia, Santa Maria, Sol Nascente e Taguatinga.

“O nosso programa Viver 60+ leva a atividade física para 10 cidades aqui do Distrito Federal, mas estamos trabalhando para que em breve outras regiões sejam contempladas com a iniciativa”, disse a secretária Marcela Passamani.

A aposentada Eliene Silva, de 64 anos, elogiou a iniciativa: “Quando você encontra pessoas parecidas contigo, te dá um gás e ânimo para seguir”
A aposentada Eliene Silva, de 64 anos, elogiou a iniciativa: “Quando você encontra pessoas parecidas contigo, te dá um gás e ânimo para seguir”

O Estatuto da Pessoa Idosa assegura direitos às pessoas com 60 anos ou mais. As situações vivenciadas por muitas pessoas idosas não se restringem ao etarismo, às negligências e às situações de abandono. Há também a violência física, sexual, psicológica ou mesmo patrimonial, quando há uma exploração imprópria ou ilegal ou mesmo o uso não consentido de seus recursos financeiros e patrimoniais. Para coibir tais situações, o programa Direito Delas, iniciativa da Sejus-DF, faz o atendimento de pessoas idosas que sofrem violações de direitos.

O programa oferece atendimentos social, psicológico e jurídico em nove núcleos existentes, nas seguintes regiões administrativas: Ceilândia, Estrutural, Guará, Itapoã, Paranoá, Planaltina, Plano Piloto, Recanto das Emas e Samambaia. Atende ainda mulheres em situação de violência e seus familiares e crianças e adolescentes de 7 a 14 anos vítimas de estupro. Confira aqui as unidades de atendimento do programa Direito Delas.

Serviço

Programa Viver 60+

→ Para mais informações sobre os serviços ofertados pelo programa, basta entrar em contato com a Diretoria de Programas e Integração Social pelo telefone 2244-1294 ou 2244-1295.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo