Aumento de síndromes respiratórias em crianças: como se prevenir?

Aumento de síndromes respiratórias em crianças: como se prevenir?

As síndromes respiratórias estão em alta no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), com 1.215 casos notificados de janeiro a abril. Entre as notificações, 97% foram em crianças, com 274 casos graves.

Recomendações para prevenção:

  • Lavar as mãos: A principal medida de prevenção é a higienização frequente das mãos com água e sabão, ou com álcool em gel.
  • Usar máscara: O uso de máscara é recomendado em contato com recém-nascidos e crianças pequenas.
  • Evitar aglomerações: Mantenha distância de pessoas doentes e evite aglomerações, principalmente em ambientes fechados.
  • Contato com recém-nascidos: É recomendado evitar contato de recém-nascidos com pessoas doentes até os 3 meses de idade.
  • Consultas médicas: Consulte o pediatra mensalmente nos primeiros meses de vida.
  • Vacinação: Mantenha a vacinação do seu filho em dia.
  • Aleitamento materno: O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida ajuda a fortalecer o sistema imunológico do bebê.

O que são síndromes respiratórias?

As síndromes respiratórias agudas graves (SRAGs) podem ser causadas por vários micro-organismos, como bactérias, vírus e fungos. Entre os vírus causadores estão o influenza, o sincicial, o adenovírus e o rinovírus. As consequências podem ser infecções das vias aéreas, como gripes, resfriados, pneumonias e bronquiolites.

Aumento de casos é esperado:

O aumento de casos a partir de janeiro é esperado devido à circulação de vírus com novas mutações que chegam ao hemisfério sul geralmente no final do ano, entre outubro e novembro. O pico de casos geralmente acontece no meio de fevereiro ou início de março.

Vacina contra o VSR:

Há estudos em andamento para o desenvolvimento de uma vacina contra o vírus sincicial respiratório (VSR) que possa imunizar gestantes e bebês.

Mais informações:

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo