Orquestra de Rabecas do Cerrado encerra circulação pelo DF

Orquestra de Rabecas do Cerrado encerra circulação pelo DF
Orquestra de Rabeca do Distrito Federal - Foto Alice Lira

Depois de passar pelo Paranoá, Taguatinga e Ceilândia, o grupo encerra sua turnê pela cidade no Complexo Cultural Samambaia recebendo a participação especial da violeira Carol Carneiro

A Orquestra de Rabecas do Cerrado tem encantado o Distrito Federal, com uma circulação em vários pontos da cidade. A Orquestra, que tem como missão promover a tradição da Rabeca, esse incrível instrumento, presente em diversas manifestações da cultura popular brasileira e do mundo, faz sua derradeira apresentação do circuito, se apresentando no domingo, dia 08, às 16h, no Complexo Cultural Samambaia, com a participação da violeira Carol Carneiro. E fechando o dia, a rabequeira Jéssica Carvalho faz um Forró de Rabeca, fechando os trabalhos do projeto.

Orquestra de Rabecas do Cerrado

A Orquestra de Rabecas do Cerrado surge no coração do Brasil, no Distrito Federal, para encantar e mostrar a força e a beleza da rabeca para a nossa gente. Inspirado na diversidade e abrangência do Cerrado, o grupo apresenta uma pluralidade de ritmos e sons, passeando pelos territórios da cultura popular, do forró, das folias, sem esquecer das influências árabes, mostrando a rabeca como um instrumento universal. Idealizada e dirigida por Maísa Arantes, a Orquestra integra a maestria de rabequeiras e rabequeiros da cidade, com o talento de percussionistas e violeiros que, juntos, trazem arranjos próprios para as rabecas, com releituras de músicas tradicionais, além de um rico repertório autoral. O grupo realiza apresentações, oficinas e vivências, sendo um espaço de fortalecimento, promoção e encanto da rabeca no DF. Atualmente o grupo é formado pelas rabecas de: Maísa Arantes, Daniel Carvalho, André Soneca, Jéssica Carvalho e Danilo Chaib; pelo violão de Marcelo Neder; e pelas percussões de Nathália Marques e Marcos Ramalho.

Sobre a Rabeca

Bom, mas afinal, o que é a rabeca? Aliás, será essa a melhor pergunta para ajudar a entender o instrumento? A rabeca possui suas origens na África/Oriente Médio. Posteriormente levada à Europa, sofreu algumas adaptações, sendo nessa época retratada como um instrumento de três cordas friccionadas (significa que o som é produzido a partir do atrito entre o arco e as cordas, como no violino). Modificações também ocorreram ao chegar em terras brasileiras.

Aqui há rabecas de vários tipos, afinações, formas e materiais de construção. Pode-se encontrá-las construídas de bambu, latão, cabaça e outras matérias primas curiosas. Tal mutação, dentro de uma visão conservadora, é tratada como uma descaracterização em relação à suposta original. Entretanto, o mesmo fenômeno em outra perspectiva pode ser visto como uma adaptação, sendo esta mais abrangente no sentido histórico, por não negar sua origem ao mesmo tempo que não exclui as características que foram agregadas, ressaltando sua peculiaridade em cada região do Brasil. Esse instrumento se inseriu na cultura brasileira de norte a sul de forma tão ampla que atualmente faz parte da musicalidade de diversas tradições espalhadas pelo Brasil. Pode-se encontra-la no fandango, nas folias (de reis, do Espírito Santo, Cavalo Marinho, Marujada, etc), junto aos povos caiçaras no litoral sudeste, no forró e em várias outras manifestações populares.

Diante de tantas transformações nos seus mais diversos aspectos e voltando à pergunta inicial “o que é a rabeca?” pode-se perceber que se torna inadequada tal indagação, tendo em vista sua trajetória tão dinâmica.Percebe- se atualmente a sua expansão em contextos urbanos junto à juventude, ressaltando- se a crescente presença feminina que tem se interessado e tocado profissionalmente o instrumento.

Talvez o melhor a ser perguntado é: o que tem sido a rabeca? A reformulação da questão nos ajuda a entender que ela não é um objeto estático, nem remete à concepção de algo atrofiado ou original e por fim não retrai sua tão natural dinamicidade e capacidade de adaptação. – Texto de Maísa Arantes

Este projeto é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

SERVIÇO

Orquestra de Rabecas do Cerrado – Convidada: Carol Carneiro + Forró de Rabeca com Jéssica Carvalho

Quando: – 08/10 (Domingo, 16h)

Onde: Complexo Cultural Samambaia

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Redes Sociais: https://www.instagram.com/orquestraderabecasdocerrado/

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Abrir o Chat
1
💬 Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Pular para o conteúdo