Sistema nacional de operações de segurança pública é implantado no DF

Sistema nacional de operações de segurança pública é implantado no DF

O Sinesp CAD integra as informações de todas as forças e órgãos de segurança dando agilidade às ocorrências e permitindo consulta imediata dos dados. O DF é a 14ª unidade da federação a aderir ao sistema

Adriana Izel, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

As forças e os órgãos de segurança do Distrito Federal passaram a integrar o novo sistema nacional de operações criado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Sinesp CAD (Central de Atendimento e Despacho). Trata-se de um instrumento de integração dos serviços para dar suporte e diminuir o tempo de resposta a atendimentos públicos emergenciais, otimizar a gestão de recursos e melhorar o planejamento operacional.

A implantação teve início em maio após o Governo do Distrito Federal (GDF) firmar um acordo técnico com o governo federal. A Polícia Militar (PMDF) e o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) foram as primeiras forças do DF a aderir ao sistema, que se expandiu para a Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), a Polícia Civil (PCDF), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o Departamento de Trânsito (Detran) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Esse sistema vem para realmente servir para o atendimento de fato das ocorrências. O grande benefício é ser completamente gratuito. Uma outra vantagem é estar integrado a toda a base nacional de ocorrências, de veículos, de condutores, de mandados de prisão e de uma série de informações que podem ser acessadas facilmente”, afirma o chefe do Centro de Operações da Polícia Militar do Distrito Federal (Copom), tenente-coronel Emerson Almeida Cardoso.

Uma das facilidades é a obtenção de dados de ocorrências em tempo real. “O policial militar consegue de um smartphone com o aplicativo linkado preencher as informações de uma ocorrência in loco diretamente para o sistema”, revela Cardoso.

Outro benefício é o acesso aos dados durante a abordagem de suspeitos. “O nosso quadradinho aqui é cercado pelo Goiás. Dentro do território goiano já existem forças usando o sistema. Então se um elemento for abordado aqui e fichado lá poderemos fazer o rastreio pelo Sinesp CAD. Também é possível analisar as passagens desse cidadão em todo o território brasileiro”, acrescenta. Atualmente, o DF é a 14ª unidade da federação a aderir ao sistema.

O Sinesp CAD substitui o Sistema de Gestão de Ocorrências (SGO). A implantação teve duração de cinco meses com treinamento das tropas e dos multiplicadores feitos pelo Copom com instruções teóricas e práticas. Todos os órgãos deverão estar completamente integrados ao sistema até 9 de outubro.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Abrir o Chat
1
💬 Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Pular para o conteúdo