Missão técnica do Senegal visita unidades socioassistenciais do DF

Missão técnica do Senegal visita unidades socioassistenciais do DF

Quinze representantes do país africano conheceram, nesta sexta (15), ações do GDF voltadas à população em situação de vulnerabilidade

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Quinze representantes da República do Senegal estiveram no Distrito Federal nesta sexta-feira (15) para conhecer unidades socioassistenciais. A visita técnica começou pelo Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e seguiu para um almoço no Restaurante Comunitário, ambos no Itapoã.

O grupo contou com coordenadores, diretores, presidentes de conselhos e demais personalidades da Delegação-Geral de Proteção Social e Solidariedade Nacional e do Ministério do Desenvolvimento Comunitário, da Solidariedade Nacional e Equidade Territorial.

Além da comitiva estrangeira, o encontro contou com gestores do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania, além do secretário-executivo de Relações Internacionais do DF, Paulo Cesar Pagi Chaves.

“As delegações vieram entender na prática como executamos nossos projetos, serviços, programas e benefícios”, explicou a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra. “O DF é uma referência nacional na Política de Assistência Social. Nosso trabalho está chamando a atenção, agora, de outros países. Isso nos anima e nos motiva a seguir implementando mais ações e melhorando cada vez mais aquelas que já existem”, complementou a primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, também presente na visitação.

No ano passado, como iniciativa de cooperação trilateral entre o governo do Brasil, o Unicef e o governo do Irã, uma missão do país muçulmano esteve em unidades socioassistenciais com o objetivo de entender o funcionamento do Cadastro Único e como as políticas e legislações são executadas em programas de proteção social – especialmente em nível municipal/estadual – para melhor bem-estar de crianças e adolescentes.

*Com informações da Sedes

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo