Lago Sul completa 63 anos com investimento em mobilidade e infraestrutura

Lago Sul completa 63 anos com investimento em mobilidade e infraestrutura

Governo investiu pelo menos R$ 49 milhões desde 2029. As comemorações serão promovidas neste domingo (27), a partir das 7h

Catarina Loiola, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

Criado pouco depois da capital federal, o Lago Sul completa 63 anos na próxima quarta-feira (30). A cidade, que reúne mais de 30 mil habitantes em área superior a sete mil hectares, recebeu importantes melhorias desde 2019. O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu pelo menos R$ 49 milhões em obras de mobilidade, infraestrutura e mais.

‌A festa de aniversário organizada pela Administração Regional do Lago Sul será neste domingo (27). A partir das 7h, haverá a Caminhada com Dom Bosco, que parte do santuário na 702 Sul rumo à Ermida, onde terá uma missa campal. A cerimônia está prevista para começar às 10h e será celebrada pelo arcebispo de Brasília, Dom Paulo César Costa.

‌Para o administrador regional do Lago Sul, Rubens Santoro Neto, há muito o que festejar neste ano. “Nos últimos quatro anos, fizemos um trabalho de zeladoria muito grande para recuperar a cidade”, afirma. O gestor destaca as ações executadas em relação à captação e escoamento de água pluvial, com a construção de sistemas de drenagem; a construção de calçadas e a manutenção de espaços públicos, como praças e quadras poliesportivas. Ele também afirma que novos projetos estão por vir, como uma creche pública, bem como mais praças e parques para a comunidade.

‌Santoro Neto ressalta que, diariamente, ocorrem serviços de manutenção e conservação de calçadas, meios-fios e pistas de rolamento, recolhimento de lixo verde e entulho, poda de árvore e desobstrução de áreas públicas. Quinze reeducandos da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) prestam auxílio à administração. Todas as ações são repassadas aos moradores em um boletim enviado pelo WhatsApp.

Administrador regional do Lago Sul, Rubens Santoro Neto: “Nos últimos quatro anos, fizemos um trabalho de zeladoria muito grande para recuperar a cidade”

‌Além disso, desde 2019, foram investidos cerca de R$ 8 milhões em pavimentação e recapeamento asfáltico. Os recursos são provenientes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), executora das obras. Entre as áreas beneficiadas, estão a via principal da QI 27, no sentido Paranoá, o acesso ao Pelotão Lacustre, na saída da Ponte das Garças, trechos na QL 18, QL 22, QI 19 e QI 23, entre outros. No âmbito de drenagem pluvial, o aporte é de R$ 12 milhões para sanar problemas de alagamento. A melhoria está em execução entre a QI 11 e a QL 14.

‌Com aporte na ordem de R$ 17 milhões, a Ponte Honestino Guimarães está sendo reformada. É a primeira grande manutenção da estrutura desde 1976, quando foi inaugurada. Os serviços incluem o reforço das estruturas, a modernização da iluminação e a reforma das passarelas, além da construção de outra passagem para pedestres sob a ponte.

‌Em abril do ano passado, o governador Ibaneis Rocha inaugurou a ampliação da Estrada Parque Aeroporto (Epar), a DF-047, que beneficia 100 mil motoristas diariamente. Para tanto, foram construídas duas novas faixas de rolamento em cada sentido da DF-047 com investimento de R$ 12 milhões. O trecho, de aproximadamente 2 km, compreende a Estrada Parque Dom Bosco (DF-025) e a Estrada Parque Guará (DF-051), entre o antigo Balão Dona Sarah Kubitschek e o Viaduto Camargo Corrêa.

O lazer e o esporte também se destacam na Região Administrativa, que está inserida em duas APAs e conta com mais de 55 mil km de ciclovia

 

‌A região administrativa também se destaca quando o assunto é lazer e desporto. Está inserida em duas áreas de proteção ambiental (APA): a APA Gama e  Cabeça de Veado e a APA do Lago Paranoá. Tal localização abrange 14 parques ecológicos e unidades de conservação (UCs), entre eles o Parque Ecológico Dom Bosco, o Parque Ecológico do Anfiteatro Natural do Lago Sul, o Parque Ecológico do Anfiteatro Natural do Lago Sul e o Parque Ecológico Península Sul. Também é a segunda RA no DF com maior número de pistas para bicicletas: tem 55.710 km de ciclovias, atrás apenas do Plano Piloto, que soma 138.071 km.

Renato Malcotti, morador do Lago Sul há 41 anos: “É um bairro muito bom para se morar”

Morador do Lago Sul há 41 anos, o aposentado Renato Malcotti, 78, não tem planos de deixar a cidade. Nascido no Rio de Janeiro, ele chegou a Brasília em 1979 para trabalhar no governo federal e, desde então, nutre uma paixão pela cidade. “Vim para ficar dois anos, mas já tem 44 que estou aqui. O Lago Sul ficou bem estruturado, melhorou muito, tem bastante comércio. É um bairro muito bom para se morar”, conta ele, que, por um breve período, residiu no Plano Piloto e que, em 1999, foi considerado cidadão honorário de Brasília.

‌Dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) 2021 revelam que 51,7% da população do Lago Sul são do sexo feminino e que a idade média é de 42,5 anos. Outro detalhe é que, do total de moradores, mais da metade não nasceu na capital federal, sendo que a origem mais citada foi Minas Gerais. A renda per capita é de R$ 10.979,10.

Arte: Administração Regional do Lago Sul
Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo