Criado Grupo de Trabalho para debater a mobilidade urbana no DF

Criado Grupo de Trabalho para debater a mobilidade urbana no DF

Equipe terá 90 dias para concluir as atividades, podendo ser prorrogado por igual período

Agência Brasília* | Edição: Igor Silveira

A criação de um Grupo de Trabalho responsável por elaborar estudos e propor soluções para a mobilidade urbana do Distrito Federal foi publicado, nesta sexta-feira (11), no Diário Oficial (DODF). A equipe terá 90 dias para concluir os trabalhos, podendo ser prorrogado por igual período. O colegiado será coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (SECTI-DF) e contará com a participação de representantes da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e do Banco de Brasília (BRB).

O objetivo da iniciativa é colher dados, elaborar e executar estudos e apresentar propostas com vistas a identificar desafios e aprimorar o ecossistema de mobilidade urbana do DF. Segundo Gustavo Amaral, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, a pasta tem envidado esforços no sentido de estimular o desenvolvimento de soluções para a cidade.

“A instituição deste Grupo de Trabalho se alinha com o compromisso da SECTI-DF de atuar de maneira transversal. Neste sentido, estamos trabalhando em parceria com outras Secretarias para que juntos possamos propor e viabilizar melhorias para a população do DF”, avalia o secretário.

De acordo com o decreto, a Secretaria de Transporte e Mobilidade será responsável por elaborar estudo de viabilidade, definir regras de negócio da mobilidade, bem como disponibilizar dados para auxiliar no desenvolvimento do objeto.

O Secretário da SEMOB, Flávio Murilo Prates, destaca que o foco do GDF é uma mobilidade sustentável, com valorização do transporte público. “Nesse sentido, vamos atuar em parceria com a SECTI e demais órgãos que compõem o grupo de trabalho, buscando as melhores soluções para a mobilidade do Distrito Federal”, disse.

O grupo de trabalho poderá contar com o auxílio de representantes de órgãos e entidades públicas ou privadas, especialistas e pesquisadores para participar dos trabalhos com a finalidade de prestar informações, consultoria ou assessoramento para assuntos específicos.

*Com informações da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Secretaria de Transporte e Mobilidade

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo