Professores do DF vão participar de formação sobre diabetes

Professores do DF vão participar de formação sobre diabetes

Curso promovido pelas secretarias de Saúde e de Educação é destinado a docentes da rede pública e privada. Objetivo é orientá-los nos cuidados com alunos que têm a doença

Agência Brasília* | Edição: Vinicius Nader

Professores instruídos para lidar com estudantes que têm diabetes. Este é o objetivo da parceria entre a Secretaria de Educação (SEEDF) e a Escola de Aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (Eapsus) da Secretaria de Saúde (SES-DF). A formação Diabetes nas escolas recebe inscrições até o dia 23 de agosto, de forma virtual, pela plataforma Eapsus.

O público-alvo da capacitação são professores tanto da rede pública como da particular. O curso, que será realizado à distância (EAD), irá debater tópicos relevantes e informativos sobre a doença, como a importância do exercício físico, detalhes sobre alimentação, aplicação da insulina, conceitos de hiper e hipoglicemia e bullying no ambiente escolar.

O curso busca orientar professores a acolher de forma adequada estudantes com diabetes, desmistificando o medo do cuidado | Foto: Breno Esaki/ Arquivo Agência Saúde

“O aluno com alterações de glicemia, se não for acompanhado corretamente, pode sofrer quedas e apresentar dificuldades de aprendizagem e concentração. A formação serve para ambientar os professores e impedir que eles sintam receio na hora de auxiliar o estudante”, esclarece a diretora da Eapsus, Fernanda Ramos Monteiro.

“A formação irá subsidiar os professores, que têm formação pedagógica e não em saúde, sobre esses cuidados” Shirley Silva Diogo, nutricionista da Diretoria de Alimentação Escolar da SEEDF

Shirley Silva Diogo, nutricionista da Diretoria de Alimentação Escolar da SEEDF, ressalta que entender os cuidados necessários com os estudantes que têm diabetes durante o período escolar é fundamental. “A formação irá subsidiar os professores, que têm formação pedagógica e não em saúde, sobre esses cuidados. Precisamos discutir os principais sintomas, o papel da alimentação na doença e o da escola nesse contexto”, explica.

A nutricionista reforça que o curso irá correlacionar a importância de uma dieta adequada em pacientes com diabetes com o Programa de Alimentação Escolar, normas sobre o tema e planejamento de cardápios específicos a esse público.

Atendimento

A assistência à pessoa com diabetes é iniciada na unidade básica de saúde (UBS). Pacientes com diabetes tipo 2 são acompanhados pelo médico de família e pelo enfermeiro, em consultas intercaladas. Quando necessário, eles são encaminhados para avaliação do endocrinologista nos ambulatórios especializados, com a participação de equipe multiprofissional.

Para o diabetes tipo 1, os pacientes são conduzidos, prioritariamente, ao endocrinologista do ambulatório de referência de determinada região, sendo garantida toda a assistência na UBS para a entrega dos insumos (tiras reagentes, lancetas, agulhas para canetas ou seringas, etc.).

*Com informações da Secretaria de Saúde

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo