Projeto realiza 610 atendimentos no aniversário da Lei Maria da Penha

Projeto realiza 610 atendimentos no aniversário da Lei Maria da Penha

Ação da Defensoria Pública do DF voltada ao público feminino contou com a presença de autoridades do GDF, como a vice-governadora Celina Leão e a secretária da Mulher, Giselle Ferreira

Agência Brasília* | Edição: Igor Silveira

A 4ª edição do Dia da Mulher da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) realizou 610 atendimentos nesta segunda-feira (7). A ação ocorreu na data do aniversário da Lei Maria da Penha, importante ferramenta de proteção ao público feminino, e contou com a presença de autoridades do Governo do Distrito Federal (GDF), como a vice-governadora Celina Leão e a secretária da Mulher, Giselle Ferreira.

A iniciativa é promovida mensalmente, sempre na primeira segunda-feira do mês, e oferece serviços exclusivos para as mulheres em situação de vulnerabilidade. A edição de agosto foi realizada em parceria com Serviço Social do Comércio (Sesc), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), Secretaria da Mulher do DF, Secretaria de Justiça e Cidadania do DF (Sejus), Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

A iniciativa é promovida mensalmente, sempre na primeira segunda-feira do mês, e a edição desta segunda-feira contou com a presença da vice-governadora Celina Leão | Foto: George Gianni/Vice-governadoria

A vice-governadora do Distrito Federal, Celina Leão, defende que o evento, pioneiro da DPDF por oferecer atendimento ampliado às mulheres, faz toda a diferença na vida da população. “Todas as forças do governo estão reunidas neste dia para ofertar o máximo de serviços a esse público. O objetivo é concentrar os atendimentos em apenas um local para facilitar o acesso do público feminino”, afirmou.

Para a subdefensora pública-geral, Emmanuela Saboya, ações como o Dia da Mulher são fundamentais para garantir os direitos do público feminino em situação de vulnerabilidade. “São serviços muito importantes, especialmente nesta data em que a Lei Maria da Penha completa 17 anos e após recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a aplicação da tese da legítima defesa da honra em casos de feminicídio. É uma forma de concentrarmos todo o atendimento a elas em um mesmo local”, ressaltou.

“Todas as forças do governo estão reunidas neste dia para ofertar o máximo de serviços a esse público. O objetivo é concentrar os atendimentos em apenas um local para facilitar o acesso do público feminino”Celina Leão, vice-governadora do Distrito Federal

Entre os serviços que foram oferecidos nesta edição, destacam-se atendimentos de mediação, orientação jurídica e psicossocial, exames de DNA, consultas com uma médica da família e com profissional de enfermagem, realização de mamografias e exames citopatológicos, inserção de DIU e atendimentos odontológicos. Além disso, houve atendimentos da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam I e II) e a distribuição de materiais informativos pelo Núcleo Judiciário da Mulher do TJDFT e pela Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência (Subav), da Sejus.

Maria Valdelice Oliveira, 72 anos, procurou a ação desta segunda-feira para resolver pendências no Cras. “Cheguei cedo e peguei a senha. É muito bom ter a quem recorrer para receber um atendimento de qualidade e não precisar me deslocar para outros lugares”, contou. Ela mora em Taguatinga e soube da iniciativa por meio das redes sociais.

Dia da Mulher

Ao longo das três primeiras edições, o Dia da Mulher realizou 1.520 atendimentos. A ação mensal gratuita e de qualidade tem como foco as mulheres em situação de vulnerabilidade.

Realizada na primeira segunda-feira de cada mês, a iniciativa assiste o público feminino no exercício de seus direitos fundamentais. Caso seja feriado, os atendimentos serão disponibilizados no primeiro dia útil subsequente. O intuito é concentrar o máximo de serviços possível para acolher e levar cidadania às mulheres em situação de vulnerabilidade.

*Com informações da Defensoria Pública do Distrito Federal

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo