Atleta formada no CID do Gama conquista bolsa em universidade nos EUA

Atleta formada no CID do Gama conquista bolsa em universidade nos EUA

Tyfane Rodrigues Martins descobriu o atletismo dentro da rede pública de ensino, onde desenvolveu o esporte no centro de iniciação e com incentivo de programas do GDF

Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

Destaque no atletismo no Distrito Federal, a atleta Tyfane Rodrigues Martins, 24 anos, inicia nesta semana um novo capítulo na vida esportiva. A jovem deixou a capital federal para se mudar para os Estados Unidos após conquistar uma bolsa de estudos na universidade New Mexico Junior College, no Novo México, onde poderá estudar com todos os custos pagos e ter melhores condições de se desenvolver no esporte.

“Durante esses 12 anos que treino, obtive resultados muito importantes. Fui campeã brasileira, recordista brasileira, campeã sul-americana, medalhista nas categorias sub 16, 18 e 20 e finalista do Troféu Brasil, que é uma das principais competições da América Latina. Com isso, tive a ideia de tentar um local com mais estrutura. Porque, querendo ou não, o Brasil ainda é muito escasso, o que torna mais difícil se sobressair”, conta.

Tyfane Martins treinava no CID do Gama, um dos 96 centros de iniciação desportiva distribuídos no DF pelas 14 coordenações regionais de ensino | Fotos: Matias Santana/Divulgação

A paixão pelo esporte nasceu quando Tyfane, com 11 anos, estudava no Centro Educacional (CED) 7 do Gama. “Meu início no esporte foi justamente na escola. Eu nunca tinha tido, até então, nenhum contato com o esporte. No ensino fundamental, tive um professor de educação física que fazia um teste com os alunos para ver quais se destacavam mais para encaminhá-los para o OlimGama [maior competição esportiva de estudantes das redes públicas e privadas do Gama]. Fui convidada na modalidade de atletismo”, lembra.

Logo na primeira oportunidade, a jovem se destacou tendo bons resultados e foi convidada para treinar no Centro de Iniciação Desportiva (CID) do Gama. A unidade é uma das 96 distribuídas no Distrito Federal pelas 14 coordenações regionais de ensino. Os espaços atendem nove mil alunos da rede pública, de 7 a 17 anos, proporcionando conhecimento técnico e tático em 19 modalidades esportivas gratuitamente no contraturno escolar.

“Se eu não tivesse vindo da escola pública e não tivesse tido um professor de educação física que apoia e incentiva os alunos, eu não teria tido o contato que tive com o atletismo tão cedo. Foi extremamente importante ter tido um professor que valorizava o esporte”, analisa.

O professor do CID de Atletismo do Gama Ademir Francelino Ferreira foi esse apoiador para Tyfane. Durante a primeira participação dela nos jogos escolares, ao perceber o rendimento da menina acima da média, a convidou para treinar. “Ela bateu o recorde da categoria de 9 a 11 anos na prova de 600 metros e foi melhorando e me surpreendendo a cada treino”, destaca.

Atuando na unidade como professor de atletismo desde 1998, Ademir revelou uma série de atletas. “São 25 anos revelando atletas e dando oportunidade para eles viajarem para outras localidades para competir e terem acesso a um curso superior por conta da Bolsa Atleta”, lembra. Para o professor, o incentivo ao esporte é fundamental para os jovens. “Quando você está se esforçando e treinando, não há mais energia para coisas ruins. Sem falar que o esporte educa e faz com que o atleta leve para a vida alguns conhecimentos”, acrescenta.

Apoio nas competições

Ao longo de todos esses anos como atleta, Tyfane contou também com o apoio de outros programas do Governo do Distrito Federal (GDF). Ela foi beneficiada com o Compete Brasília, iniciativa que incentiva a participação de atletas e paratletas de alto rendimento das mais diversas modalidades em campeonatos nacionais e internacionais, por meio da concessão de transporte aéreo, para destinos nacionais ou internacionais, ou transporte terrestre, no caso de destinos nacionais. Só no primeiro semestre de 2023 foram 2.493 esportistas atendidos pela iniciativa com investimento de R$ 5 milhões.

“Durante os 12 anos em que treino, eu tive muito apoio da Secretaria de Esporte e Lazer com o Compete Brasília. É um programa muito importante, porque muitos atletas deixam de participar de competições porque não conseguem custear passagem, alimentação, entre outras coisas. Ter o apoio com a passagem facilita muito para gente”, destaca.

Na nova etapa da carreira, Tyfane pretende estar mais preparada para atingir as metas como atleta. “Com certeza, quero conseguir chegar a nível mundial, melhorar minhas marcas e ir para uma Olimpíada. Acho que é o sonho de todo atleta ser reconhecido mundialmente. Com toda essa estrutura de treino e apoio que vou conseguir nos Estados Unidos é um passo muito grande”, avalia.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo