Pirulito de cristal: empresa de Brasília faz sucesso com produtos para festas

Pirulito de cristal: empresa de Brasília faz sucesso com produtos para festas

Empresária conta que negócio surgiu por acaso e hoje projeta expansão da marca

Por Douglas Oliveira | Ais Comunicação

Nem todo empreendedor sempre sonhou em empreender. Às vezes, a habilidade para os negócios acontece de forma natural e muitas pessoas acabam se descobrindo em áreas que elas nunca imaginaram trabalhar um dia. Mariza Vila Rocha dos Santos, 43 anos, é um exemplo de que, em certos momentos, a vida acaba nos direcionando por outros caminhos.

Nascida em Dourados, Mato Grosso do Sul, há 16 anos ela mora em Brasília e se considera brasiliense de coração. “Não me vejo morando em outro lugar”, ela disse. Mariza estudou Ciências Contábeis na Universidade Católica Dom Bosco, mas nunca exerceu a profissão. Passou por vários empregos e até morou nos Estados Unidos por cinco anos, lugar onde seus dois filhos nasceram.

De volta ao Brasil, a empreendedora conta que, pelo fato da família do noivo ser de Brasília, optou por morar na Capital Federal. Com os baixos salários oferecidos no mercado de trabalho e sem conseguir uma aprovação em concursos públicos, Mariza decidiu usar seu gosto pela culinária para produzir e comercializar bolos e, dessa forma, conseguir uma renda extra.

Não demorou muito para que o talento de confeitaria da empresária despertasse o interesse do público, multiplicando a demanda da produção de bolos. Logo Mariza teve que buscar um espaço maior para atender tantas solicitações e em meio a cursos e troca de conhecimentos, a empreendedora teve seu primeiro contato com os pirulitos de cristais, um produto que era pouco conhecido até então.

“Entre uma venda e outra, eu comecei a testar o caramelo, a estrutura, como decorar e como colocar a imagem dentro. Então, toda a forma de trabalhar com o meu produto, hoje, é totalmente autoral. Com isso, as pessoas foram gostando da estética do meu pirulito e começaram a pedir para eu ensinar”, explicou Mariza sobre o início da empresa.

A empreendedora apontou que quando ela fala que trabalha na produção de pirulitos, a primeira coisa que as pessoas pensam é nos doces vendidos em supermercados, mas que não é nada parecido. Os pirulitos produzidos pela empresa são personalizáveis e são muito utilizados em decoração de festas, como mexedores de bebidas ou até mesmo para presentear alguém.

Com o produto na boca dos clientes, logo surgiram pedidos para que ela ensinasse os segredos da produção dos pirulitos. Mariza, então, viajou pelo país ensinando confeiteiros a produzir o doce. Com a alta demanda, ela migrou as aulas para o formato online e, com o advento da pandemia, a procura pelo curso explodiu. Também, em 2019, ela decidiu abrir uma loja e assim nasceu a Sweet Buquê.

 Mariza relatou que a decisão de abrir uma loja física com todas as obrigações legais, além de aluguel de espaço, contratação de funcionário e administração das finanças, proporcionou muitos desafios para o início da empresa. Assim, foi nesse momento que ela optou por buscar orientação profissional junto ao Sebrae no DF para dar continuidade ao projeto.

“Graças às consultorias gratuitas do Sebrae no DF, a gente conseguiu organizar as finanças, precificar o produto de forma correta, trabalhar a linha de produção estruturada, enfim, mapear todas as necessidades e crescimento da empresa de forma profissional”, disse Mariza.

“Conversando com a Mariza, identifiquei a potencialidade do negócio, porque ela oferece um produto inovador e muito criativo. No momento do atendimento fiz um levantamento das necessidades da empresa para prepará-la para o mercado com mais profissionalismo. Assim, conseguimos orientá-la de maneira assertiva nos pontos que ela precisava melhorar”, explicou Cristiane Galvão, analista na Gerência de Atendimento Personalizado (GAPE).

Mariza ainda revelou que, no próximo ano, pretende expandir o negócio e abrir franquias da Sweet Buquê, levando a marca e o produto para dentro dos shoppings de Brasília.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo