Ciclovia de 3 km vai ligar o Núcleo Bandeirante à Candangolândia

Ciclovia de 3 km vai ligar o Núcleo Bandeirante à Candangolândia

Construção da pista, que terá uso compartilhado de ciclistas e pedestres, está bem adiantada e é executada pelo DER-DF

Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Vinicius Nader

Moradores do Núcleo Bandeirante e da Candangolândia vão ganhar uma ciclovia que vai ligar as cidades vizinhas e trazer bem-estar e conforto à população. Em construção desde o início de abril, a pista compartilhada (pedestres e ciclistas) terá 3 km de extensão e 2,8 metros de largura. Com um investimento de R$ 600 mil – oriundos de emenda parlamentar do deputado distrital Hermeto – a obra é executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

A ciclovia se inicia na via férrea, localizada no Núcleo Bandeirante, e se estende até a entrada da Candangolândia, em um trajeto perto da marginal sul da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB) e do Viaduto João Goulart. No momento, operários têm usado cerca de 80 toneladas de massa asfáltica diárias para dar forma à pista. A obra chama a atenção de moradores que circulam nos jardins do Bandeirante.

“Nossa cidade tem uma comunidade tranquila, que gosta de sair de casa e dar sua caminhada aqui próximo à EPNB. Essa ciclovia está sendo feita em um local muito bonito”, aponta o empresário Rafael Almeida, 40 anos. “Não é só uma questão de mobilidade, mas é qualidade de vida para a pessoa pegar a bicicleta, fazer um esporte”, completa. A esposa dele, Mariana Almeida, 40, adepta das corridas, também curtiu. “A calçada estava deteriorada e ter um asfalto novo é muito melhor, menos risco de lesão. Estou ansiosa”, afirma ela.

Moradora da Candangolândia, a servidora pública Maria do Socorro Neiva, 57, é da turma do pedal e não sabia que a pista teria como ponto final a região administrativa onde mora. “Que coisa boa. Agora dá para vir direto de casa até o (Núcleo) Bandeirante com tranquilidade. Tinha medo do trânsito aqui do viaduto”, celebra. “Com ciclovia, todo mundo ganha. É mais saúde e menos carros nas ruas”, diz.

Rafael Almeida: “Não é só uma questão de mobilidade, mas é qualidade de vida”

A iluminação também foi renovada. A CEB Ipes instalou 562 luminárias de LED na localidade, beneficiando também os usuários da ciclovia. Segundo o fiscal da obra pelo DER, Jarbas Silva, após a finalização do piso, serão feitas a sinalização vertical e horizontal no local. “Em boa parte do trajeto, tínhamos uma calçada já quebrada, muito antiga, o que gerava risco para pedestres, cadeirantes e ciclistas. Agora, a acessibilidade também melhora”, aponta o engenheiro.

Quase 650 km de malha cicloviária

Atualmente, o DF conta com 636,89 km de ciclovias, segundo números da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), malha cicloviária extensa que faz da capital federal a segunda maior do país, atrás apenas de São Paulo. A nova ciclovia do Bandeirante e a do Altiplano Leste (5,2 km), no Jardim Botânico, também em construção, em breve se somarão a este número.

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo