Parque da Cidade terá atividades educativas no sábado sobre Maio Laranja

Parque da Cidade terá atividades educativas no sábado sobre Maio Laranja

Evento tem o objetivo de reforçar a importância da educação protetiva na prevenção ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Agência Brasília* | Edição: Saulo Moreno

O mês de maio trouxe a ampliação de ações voltadas ao combate da exploração e abuso sexual infantil. Conhecida como Maio Laranja, a campanha visa conscientizar e reforçar à população quanto à proteção de crianças e adolescentes de todo país.

“As ações em apoio ao Maio Laranja são valorosas no que diz respeito à luta em prol do direito de viver plenamente a infância e a adolescência. Essa responsabilidade também é nossa”Julio Cesar Ribeiro, secretário de Esporte e Lazer

Para disseminar uma informação segura sobre a importância da educação protetiva na prevenção ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, e de como proceder diante de uma revelação espontânea de violência, a Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), em parceria com o Parque da Cidade, vai promover no próximo sábado (20), das 10h às 16h, atividades alusivas ao Maio Laranja.

O local escolhido para a campanha é o Parque Ana Lídia, que pela primeira vez teve o seu foguetinho iluminado de laranja em celebração à data. No dia, haverá distribuição de cartilhas inerentes ao tema, brincadeiras, brinquedos infláveis, personagens vivos e atividades lúdicas direcionadas às famílias que frequentam o local. “O Parque da Cidade é uma das maiores referências na infância do DF, não poderíamos deixar de trazer alegria e, ao mesmo tempo, alertar sobre o Maio Laranja e os perigos da violência sexual infantil”, destaca o administrador, Todi Moreno.

Para o secretário de Esporte e Lazer do DF, Julio Cesar Ribeiro, “as ações em apoio ao Maio Laranja são valorosas no que diz respeito à luta em prol do direito de viver plenamente a infância e a adolescência. Essa responsabilidade também é nossa.”

História

O espaço onde serão promovidas as ações leva o nome da pequena Ana Lídia, de 7 anos, vítima de um dos crimes mais bárbaros de Brasília, em 1973. Ana foi sequestrada, vítima de violência sexual e morta. Em homenagem à criança, o espaço infantil do Parque da Cidade foi batizado com o nome da menina um ano após a sua morte.

*Com informações da SEL

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Abrir o Chat
1
💬 Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Pular para o conteúdo