Dança, yoga e pilates são remédios na reabilitação de pacientes

Dança, yoga e pilates são remédios na reabilitação de pacientes

UBS 3 do Recanto da Emas conduz projeto com mais de 90 pacientes da rede pública como estratégia de saúde

Mais de 90 pessoas participam ativamente dos grupos de reabilitação e terapias alternativas na Unidade Básica de Saúde (UBS) 3, do Recanto das Emas. O trabalho busca atender às demandas espontâneas para a prevenção e tratamento de diversos problemas. Diariamente, a população tem a oportunidade de se unir aos grupos de yoga, de alongamentos globais, de exercícios gerais, de caminhadas e de pilates.

As atividades ajudam no diagnóstico precoce, monitoramento de agravos, promovendo educação em saúde e melhoria da qualidade de vida da população | Fotos: Divulgação / SES-DF

Todas as atividades são desenvolvidas pelo Núcleo Ampliado em Saúde da Família da UBS, formado por especialistas como fisioterapeuta, nutricionista e terapeuta ocupacional. Além do atendimento de grupo, os casos identificados com problemas mais graves de reabilitação são encaminhados para atendimento individualizado.

As ações desse núcleo dão suporte importante para as equipes de Saúde da Família, ajudando no diagnóstico precoce, no monitoramento de agravos, promovendo educação em saúde, e melhora da qualidade de vida da população.

“O público-alvo é formado por indivíduos portadores de doenças crônicas ortopédicas, diabetes, hipertensão e obesidade. Abraçamos outras demandas também. Em poucas sessões, percebemos, nos relatos e exercícios, que os pacientes conseguem superar as dificuldades apresentadas”Gilmara Hussey, fisioterapeuta

As turmas são conduzidas, em sua maioria, pela fisioterapeuta Gilmara Hussey, que foca as atividades em demandas mais generalizadas para atender a um grupo maior. No entanto, quando há situações que precisam de uma atenção específica, a profissional realiza os encaminhamentos necessários. Para participar, é só comparecer no dia da atividade. Apenas o grupo de Qualidade de Vida tem inscrição prévia.

“Focamos muito na prevenção. Mas, temos pacientes com vários perfis. O público-alvo é formado por indivíduos portadores de doenças crônicas ortopédicas, diabetes, hipertensão e obesidade. Abraçamos outras demandas também. Em poucas sessões, percebemos, nos relatos e exercícios, que os pacientes conseguem superar as dificuldades apresentadas. Quando eles sentem que estão mesmo melhorando, seguem conosco”, afirmou.

“Recebi dicas para uma vida saudável e, de maneira simples, passei a mudar os meus hábitos. Fiz amigos e ir lá passou a fazer parte da minha rotina. O que temos aqui é uma riqueza e tudo gratuito. Hoje sou mais feliz e minha autoestima melhorou muito”Sônia Valadares, paciente

A paciente Sônia Valadares é uma das usuárias da unidade que participa das ações alternativas. Estava com problema na coluna e com medicação diária para dor. No local, passou por atendimento e a participar dos grupos. Além disso, como dever de casa, aprendeu a fazer os exercícios de fortalecimento. Recebeu ainda dicas de alimentação e vida saudável.

“Com as atividades na UBS, eu consegui me livrar da medicação, porque saí do sedentarismo e passei a me movimentar da maneira correta. Os profissionais são atenciosos e vão além do exercício. Recebi dicas para uma vida saudável e, de maneira simples, passei a mudar os meus hábitos. Fiz amigos e ir lá passou a fazer parte da minha rotina. O que temos aqui é uma riqueza e tudo gratuito. Hoje sou mais feliz e minha autoestima melhorou muito”, relatou.

Além de exercícios, os participantes recebem dicas de alimentação e vida saudável

Há também o grupo para a melhor idade, exclusivo para pessoas acima de 60 anos, que queiram melhorar as funções de memória, coordenação motora, força e alongamento, além da interação social, por meio da dança sênior, exercícios e alongamentos.

Todo mês, a equipe tem ainda o Grupo de Qualidade de Vida. São quatro encontros realizados por meio das metodologias ativas e de inovação, fazendo com que os participantes reflitam e desenvolvam novas atitudes para mudança de hábitos e melhoria da qualidade de vida.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Agência Brasília* | Edição: Saulo Moreno

 

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Abrir o Chat
1
💬 Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Pular para o conteúdo