Veja como proteger seu pet das baixas temperaturas

Veja como proteger seu pet das baixas temperaturas

Termômetros despencam em diversas capitais do país e os animais de estimação precisam de cuidados especiais nessa época

Apesar da pelagem, cães e gatos podem sofrer com as baixas temperaturas, assim como os humanos. Com a chegada de uma frente fria pelo país, que causará geadas e até neve em alguns estados, os tutores dos pets precisam tomar cuidados específicos durante o período de frio.

Segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo, o ar mais seco pode ocasionar problemas respiratórios e os pets com idade mais avançada podem sentir desconforto nas articulações por conta do frio.

Da mesma maneira que ocorre conosco, as baixas temperaturas provocam uma queda na imunidade dos animais, podendo causar a Doença Respiratória Infecciosa Canina –ou tosse dos canis.

“A tosse dos canis pode ser com ou sem secreção, mas, na maioria das vezes, tem secreção purulenta [pus]”, disse à CNN, o médico veterinário Fernando Abi Hanna.

Protegendo os animais

Abi Hanna avaliou que, para cuidar de pets convencionais (como cães e gatos) no frio, alguns cuidados simples bastam. “Uma roupinha de lã ou soft é suficiente. Já para aqueles que ficam nas áreas externas [quintais] se faz necessário uma casinha com coberta”, disse.

O que difere, por exemplo, de répteis –nesse caso, é necessário haver uma fonte de calor, como lâmpadas e/ou pedra aquecida para mantê-los confortáveis.

O veterinário explicou que, outro cuidado simples, em especial para cães, é a vacina contra gripe.

Banhos

O ideal é evitar banhos no frio. Porém, Abi Hanna disse que, no caso dos cães de pequeno porte, os banhos podem ocorrer uma na semana sem problemas. “Já em cães de porte médio ou grande, o ideal é que tomem banho a cada 15 dias”, disse o veterinário.

Outra recomendação é que os profissionais não deixem pelagem úmida. Os pelos do animal devem ser bem secos e o pet não deve ser exposto ao vento. E se possível, evitar a tosa, já que isso expõe os animais ao frio.

Com os gatos, a situação é um pouco diferente. “Os gatos não gostam muito de roupa, porém, adoram cobertas. Com eles, o banho pode ser feito uma vez ao mês tranquilamente”, afirmou o especialista.

Passeios

A exposição ao vento frio também é ruim para os pets durante o frio intenso. O ideal é que se evite passeios nas horas mais frias e de ventania –principalmente pela manhã e à noite.

Abi Hanna acrescenta que “o bom aquecimento é o primordial”. Nesse sentido, os passeios devem ser feitos com os animais agasalhados, se possível.

Alguns animais vivem em áreas descobertas, expostas à friagem e chuvas. O veterinário alerta para o risco de hipotermia. “O frio intenso pode levar o animal à morte. Se possível não deixá-lo no quintal sem proteção contra as baixas temperaturas”, orienta.

Por Ingrid Oliveirada CNN

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo