Cinco golpes online comuns nos quais as pessoas caem o tempo todo

Cinco golpes online comuns nos quais as pessoas caem o tempo todo

Lista inclui fraudes no WhatsApp e na OLX, além de ataques de phising e anúncios de vendas falsas; saiba se proteger

A cada dia surgem novas e mais complexas modalidades de golpes virtuais. Algumas fraudes, porém, são comuns na Internet e aplicadas pelos criminosos há anos. Apesar de já terem sido amplamente divulgados, golpes como phishing e solicitação de dinheiro via Pix no WhatsApp seguem fazendo vítimas.

1. Golpes de phishing

O golpe de phishing consiste em enviar mensagens falsas para induzir a vítima a fornecer dados pessoais e financeiros. Nas tentativas de fraudes, que podem ser aplicadas por e-mail, SMS ou WhatsApp, os criminosos costumam se passar por marcas famosas e anunciar produtos com descontos “imperdíveis”, para que o consumidor, atraído pelos preços baixos, compre o produto e insira dados de cartão de crédito. Também é comum que os golpistas falem em nome do entidades governamentais e prometam a liberação de benefícios em troca de informações pessoais como CPF.

Tentativa de phishing utilizando mensagem falsa enviada em nome da Netflix — Foto: Reprodução/Gabriel Ribeiro

O conteúdo do phishing pode ainda simular uma ameaça de encerramento de conta, por exemplo, a fim de gerar senso de urgência para que o indivíduo tome uma ação rápida. Para se proteger desse tipo de golpe, é preciso ficar atento ao receber e-mails, SMS, links ou qualquer outro tipo de contato em nome de empresas e entidades governamentais. Confira atentamente o endereço do remetente e a URL do site e, em caso de dúvidas, procure os canais oficiais da marca ou órgão. Se suspeitar da veracidade da mensagem, não informe dados pessoais ou bancários

2. Golpes do Pix no WhatsApp

Um dos golpes online mais famosos é o do Pix no WhatsApp. Em geral, os criminosos clonam a conta da vítima em outro celular, se passam pelo usuário invadido e pedem dinheiro aos contatos da lista. Outra forma de roubo acontece quando os golpistas pegam fotos da vítima nas redes sociais e enviam, de outro celular, mensagens para os amigos do usuário afirmando que este precisou trocar de número. O objetivo é que o contato substitua o número da vítima pelo dos criminosos para que eles possam enviar mensagens pedindo dinheiro.

Criminosos se passam pelas vítimas no WhatsApp e solicitam dinheiro via Pix  — Foto: Rubens Achilles/TechTudo
Criminosos se passam pelas vítimas no WhatsApp e solicitam dinheiro via Pix — Foto: Rubens Achilles/TechTudo

 

A principal dica para não cair no golpe é ligar para a pessoa em questão para confirmar a veracidade da história. Se ela não atender ou bloquear você, certamente se trata de um golpe. Indivíduos que caírem na fraude devem entrar em contato com o banco o mais rápido possível para tentar fazer um bloqueio preventivo – o que deixa o dinheiro retido por 72 horas. Assim, as instituições poderão agir para congelar ou cancelar a chave Pix fraudulenta. Além disso, a vítima deve registrar um boletim de ocorrência, seja de forma presencial ou online.

Por Thaisi Carvalho, para o TechTudo

 

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo