Vício em café abre debate sobre como humanidade se tornou refém da cafeína

Vício em café abre debate sobre como humanidade se tornou refém da cafeína

Qual é a droga mais consumida do mundo? Quem se apressar em responder psicoativo popular e ilegal no Brasil, como a cocaína ou a maconha, estará redondamente enganado: a resposta certa é a cafeína . No mundo o café é a terceira do chá, também atrás da fonte de cafeína e no segundo lugar, com o consumo diário entre a população brasileira para a água.

A cafeína é, portanto, tão elevada quanto a modificação da vida real seria impossível sem ela: na rotina de cobrança excessiva é exagerada e tarefas de hoje, a cafeína é um dos principais compostos para que o mundo capitalista funciona.

É essa história que o escritor e jornalista estadunidense Michael Pollan conta em seu novo Criar audiolivro, Caffeine: How Coffee and Tea Created the Modern World (Cafeína: Como o Café e o Cháam o Mundo Moderno, em tradução livre).

Pesquisador dedicado ao tema da alimentação e do consumo e de como livros o que consumimos afeta nossa vida e saúde, desde seus anteriores que Pollan vem se debruçando sobre a relação da humanidade com plantas, e como plantas podem alterar a experiência dos seres humanos no planeta – entre diversos livros sobre comida, seus volumes anteriores tratam da alimentação onívora e das plantas chamadas psicodélicas .

O autor e jornalista estadunidense Michael Pollan
O autor e jornalista estadunidense Michael Pollan

Seu método de pesquisa e escrita costuma incluir a si mesmo como cobaia em cada pesquisa e, para contar a história da cafeína, Pollan decidiu deixar de tomar café ou outras fontes de cafeína ao longo do trabalho. Segundo relata, dando a dimensão do impacto que a bebida pode ter em nossas vidas, no primeiro dia em que deixou de tomar sua sagrada xícara matinal, a “adorável dispersão da névoa mental que a primeira dose de cafeína traz à consciência nunca chegou. O nevoeiro caiu sobre mim e não se moveu”.

A pesquisa de Pollan se aprofunda não somente na história propriamente, mas também na maneira como a cafeína age sobre nosso sistema nervoso central – e como, na mesma medida, a cafeína tira nosso sono e causa a ansiedade que só ela própria poderá dispersar com o próximo gole.

chá
O chá, também fonte de cafeína, é igualmente tema do livro

Para Pollan, o café impulsionou a propagação do pensamento iluminista e racionalista, e principalmente impulsionou a força de trabalho da Revolução Industrial e do próprio capitalismo moderno e atual. A substância descoberta na China por volta do ano 1000 antes da era comum, na forma de chá, ou por volta do ano 850 da era comum, na Etiópia, pelo café, portanto, tornou-se literalmente o combustível para as tantas mudanças que mundo atravessaria nos séculos seguintes – e até hoje.

“É incrível que tenhamos institucionalizado um medicamento com o propósito expresso de melhorar a produtividade e o controle de qualidade, mas assim o fizemos”, afirma, em palestra, o autor. Seu livro também sublinha a importância da popularização das cafeterias como locais de encontro e debate ao redor da cafeína.

cartucho
“Discutindo a guerra em um café em Paris”, cartum publicado em 1870: o fenômeno das cafeterias também é abordado no livro

Caffeine: How Coffee and Tea Created the Modern World foi lançado como audiolivro em inglês, e ainda não foi traduzido para o português.

Redação Hypeness 

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Abrir o Chat
1
💬 Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Pular para o conteúdo