Consulta de dinheiro esquecido nos bancos será liberada este mês

Consulta de dinheiro esquecido nos bancos será liberada este mês

Alta procura faz sistema ficar congestionado em menos de 24h de funcionamento.

Criado pelo Banco Central (BC), o sistema Registrato tem o objetivo de facilitar que o cidadão faça resgate dos saldos esquecidos nas contas de diversos bancos.

Nas últimas semanas, o BC anunciou a disponibilidade do sistema que em menos de 24h recebeu uma demanda muito alta de solicitações de saldos esquecido e acabou parando de funcionar.

O Banco Central se manifestou em nota dizendo que o funcionamento do site retornará no próximo dia 14 de fevereiro. Enquanto isso, os brasileiros aguardam ansiosos para fazer a solicitação para resgatar os seus valores. Essa solicitação, no entanto, só poderá ser feita a partir do dia 7 de março

Estima-se que cerca de 24 milhões de brasileiros e empresas receberão cerca de R$ 8 bilhões. A consulta poderá ser feita apenas informando o CPF ou o CNPJ da empresa, logo após aparecerão os valores disponíveis no nome da empresa ou do cidadão. Veja o passo a passo:

  • Acesse o site do Banco Central e procure a opção: “Minha Vida Financeira”;
  • Clique em “Valores a Receber”;
  • Role a página até o fim e clique na opção “Consulta ao Relatório Valores a Receber”;
  • Clique em “Iniciar consulta” e informe o número do seu CPF ou CNPJ. Caso tenha dinheiro para receber, a informação aparecerá logo na tela. Caso contrário, a consulta será encerrada.

Caso haja algum valor para receber, será preciso que se verifique qual o banco que esse valor está pelo “Registrato”.

Como fazer o resgate?

Se o banco que você possui dinheiro tiver aderido ao termo do BC que determina o pagamento via Pix na conta em até 12 dias, ao entrar no site do Registrato aparecerá a opção “Solicitar por aqui”. O TED e o DOC também, são opções de repasse dos valores.

Agora, caso apareça, “Solicitar via instituição”, isso indica que o banco não assinou o termo do BC, por isso será preciso entrar em contato com a instituição financeira para fazer o resgate dos valores.

Do R7

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo