Projeto estuda o envelhecimento de vinhos em uma adega de gelo

Projeto estuda o envelhecimento de vinhos em uma adega de gelo

O experimento da Universidade de Milão quer entender como envelhece em ambiente congelado

Garrafas envelhecidas no fundo do mar ou em minas já são novidades. Por isso agora a Universidade de Milão quer experimentar o envelhecimento em “gelo” numa adega iglu especialmente criada nas montanhas.

Este curioso projeto envolve o Consorzio Pontedilegno-Tonale, o Consorzio Vini di Valcamonica, a Cantina Bignotti e a Unimont – Università della Montagna, centro de excelência da Universidade de Milão.

Em termos concretos, o objetivo é “completar o envelhecimento de 200 das melhores garrafas da área de Valle Camonica em uma adega de gelo construída para a ocasião, a uma altitude de 2.000 metros, em Corno d’Aola, na área de esqui Ponte di Legno, no Parque Adamello”.

O objetivo é estudar como as qualidades organolépticas do vinho mudam e identificar técnicas sustentáveis de cultivo de vinho. O iglu, para ser usado como uma cave original de envelhecimento, foi criada pelo artista camuno Ivan Mariotti.

Com propósito científico, o experimento também será usado para entender melhor como altas altitudes e invernos frios podem ajudar a melhorar o envelhecimento das garrafas dos vinhos locais.

 

Da Revista adega

Compartilhe:

Alvaro Maciel

Deixe um comentário

Pular para o conteúdo